segunda-feira, maio 24, 2010

Postura e dor

Segundo Kendall: A postura bípede humana pode ser definida como a organização de segmentos corporais que cada indivíduo faz para garantir equilíbrio entre músculos e ossos com capacidade para proteger as demais estruturas do corpo humano de traumatismos e promover coordenação para as diversas necessidades de movimento.

E segundo Nordin: A má postura é uma falta de relacionamento das várias partes corporais, a qual induz um aumento de sobrecarga às estruturas de suporte, podendo resultar em dor.

Mas não se preocupe! você não está sozinho! Por volta de 93% da população mundial apresenta certo desvio postural. E os problemas posturais mais comuns geralmente são devidos aos nossos hábitos e sedentarismo. Mas outros fatores influenciam os hábitos posturais, como comprimento e capacidade de desempenho muscular, resistência, mobilidade articular, deficiências anatômicas, características antropométricas, fatores ambientais e emocionais e idade.

Costumo dizer aos meus pacientes que o fisioterapeuta é o engenheiro do corpo. Nosso grande trabalho é procurar a causa de um desequilíbrio no corpo que pode causar dor, desconforto ou qualquer outro sintoma indesejado. E devido às nossas atividades diárias, tanto no trabalho como no lazer, e até como dormimos, causamos desajustes em nosso corpo todo.

Um grande médico fisiologista comparar nossa coluna com um mastro de navio:



E gosto deste conceito! Temos mais de 30 músculos atuantes em nossa coluna, sendo 30 do lado direito e outros 30 do lado esquerdo. Somos completamente simétricos tendo vista apenas nossos músculos. Só que nossas atividades não são simétricas. Imaginem uma pessoa com a postura perto da perfeição, sem nenhum hábito diário que possa prejudicar esta postura, ela ainda terá um lado dominante. Explico-me: ela usará um braço mais do que o outro por ter mais facilidade com este (destro/canhoto), subirá sempre o primeiro degrau com a mesma perna por ter mais facilidade, chutará uma bola utilizando mais uma perna do que a outra, e por aí vai. Com isso, um lado ficará mais forte do que o outro, já que os músculos do lado dominante será mais fortes do que o lado não-dominante.

Voltemos ao mastro do navio. Se um lado é mais forte do que outro, o músculo deste lado tenderá a puxar um pouco mais a coluna para este lado, pois não há a mesma resistência do lado oposto da musculatura que é idêntica a ela, mas não tão utilizada por não estar no lado dominante do corpo. E com isso geraremos certos desequilíbrios no corpo todo.

E ainda mais, quanto mais sedentários somos, pior esta relação. Quanto menos força um músculo tem para resistir à dominância de outro, pior o quadro, pior a postura, pior será a dor.

A dor não vem diretamente da má postura, e sim, do desgaste que esta causa com o tempo. Uma coluna torta terá inúmeras reações não desejadas. Pode causar artrose, pinçamento da raiz nervosa, bico de papagaio, contraturas musculares crônicas, listeses, entre muitos outros problemas.

Um artigo que gosto muito termina assim: A identificação dos desvios posturais antes que disfunções se desenvolvam é uma proposta de prevenção necessária, que propicia um tratamento mais eficiente, diminuindo a gravidade das complicações. É necessário que a fisioterapia atue não apenas intervindo nas alterações já instaladas, como também orientando e instruindo, de forma a prevenir a sua ocorrência.

Essa atitude preventiva infelizmente é rara entre os brasileiros, e mais, além de não prevenirem como deveriam, costumam buscar ajuda para suas dores não quando estas acontecem, e sim, quando não aguentam mais suportar. Quanto mais tempo tem uma dor, mais deformação seu corpo sofrerá e mais tempo demorará para obter sua cura, se for o caso.

Exercícios físicos equilibrados, atenção à postura diária para qualquer atividade, e uma boa orientação médico-fisioterapêutica... Uma bomba contra as dores atuais e as que podem ser prevenidas. 
Ocorreu um erro neste gadget