terça-feira, agosto 17, 2010

Dor Lombar e articulação Sacro Ilíaca


A cintura pélvica é um conjunto de ossos que fica entre a coluna vertebral e os membros inferiores, transferindo o peso do tronco para as pernas e vice-versa. Ou seja, quando estamos em pé parados ou sentados, todo o peso do nosso tronco, braços e cabeça mais a gravidade, é depositado em cima da cintura pélvica, que transmite estas forças para os membros inferiores. E, quando estamos com alguma atividade de impacto – como correr, descer escadas ou rampas, pular – há uma transferência de carga dos membros para a coluna.




Quem faz grande parte desta transferência é a articulação sacroilíaca que atua também como uma atenuadora destas forças. Forças anormais nesta região são causas de uma disfunção da articulação sacroilíaca e podem contribuir para dores lombares inespecíficas ou inexplicáveis. Neste caso, forças anormais podem ser entendidas como: uma perna mais curta do que outra, uma perna mais rodada (joelho pra dentro ou pra fora) do que outra, diferença na maneira de andar (por exemplo, quando mancamos), uma coluna desequilibrada devido às nossas posturas do dia a dia, e por aí vai.




A articulação sacroilíaca é uma articulação com pouquíssimo grau de movimento, mas que tem grande influência na posição e estado das estruturas adjacentes. Muitos estudos dizem que uma adução diminuída do quadril, junto com uma diminuição de rotação axial externa deste mesmo osso, causa uma dor na articulação sacroilíaca. Ou seja, se uma das suas pernas tiver uma diminuição do movimento de adução (movimento de fechar a perna), junto com uma diminuição da rotação axial externa (movimento de rodar a perna para fora), você pode ter ua dor local na articulação sacroilíaca, ou bem espalhada na região lombar baixa.


Evidências recentes têm mostrado que dor lombar baixa pode ser associada com limitações de movimento do quadril, indício que não aparece em nenhum exame radiológico, e constantemente feito pelos fisioterapeutas de terapia manual e RPG. E mais, é importante achar onde está esta limitação, se é culpa das vértebras lombares, do membro inferior ou da própria articulação sacroilíaca. Tais achados irão determinar as técnicas e procedimentos que devem ser utilizados no paciente.
Ocorreu um erro neste gadget